3 Alimentos Que Derrubam Sua Testosterona

 

Testosterona baixa, sem libido

Muitas pessoas perguntam, quais são os inimigos da testosterona? Quais são os alimentos que derrubam o nosso nível de testosterona? A testosterona baixa está relacionada à dificuldade de ereção, bem como a falta de ereção matinal, quando não se acorda mais com aquela ereção pela manhã. Além disso, está associada também a dificuldades de memorizar coisas e de raciocínio lento.

A produção de testosterona

TestosteronaÉ importante salientar que tanto para os homens, como para as mulheres, esse hormônio é fundamental. Pois trata-se de um hormônio esteroidal, que é produzido nos homens, grande parte pelo testículo. Nas mulheres pelas células TECA do ovário, em resposta ao IFSH e ao LH.

Para otimizar a produção desse poderoso hormônio esteroidal, é preciso dar sinais para o seu corpo de que tudo está bem. Existem alimentos, nutrientes e principalmente, proteínas que ajudam o seu corpo a falar: “Agora podemos produzir testosterona porque nós estamos bem de saúde.”.

Entre no meu grupo do telegram aqui

Os tipos de exercícios que beneficiam a produção

Qualquer coisa que estressa muito, exageradamente, como os exercícios físicos de longa duração, podem diminuir a testosterona. Isso quanto se pensa em síntese proteica e catabolismo muscular, ou seja, geração de músculo e perda de músculo. Qualquer atividade física extremamente extenuante e longa, como o endurance, maratona ou a bicicleta, com duas, três, quatro, cinco horas podem atrapalhar a produção deste hormônio.

Musculação para regular a TestosteronaJá a musculação e até mesmo o exercício resistido, podem ajudar, mesmo que feito em jejum. O exercício resistido está associado a uma preservação do catabolismo, portanto, a pessoa pode estar em jejum de 18 horas ou 20 horas, combinado com uma musculação rotineiramente, protege contra o catabolismo muscular. O que é algo importante.

Os exercícios de burst, hipertrofia, estimulam uma série de hormônios que são anabólicos. O mesmo vale para o GH, que é o hormônio do crescimento. Ou como o glucagon, que é o oposto da insulina.

Alimentos negativos para a testosterona

Alimentos derivados da soja, como o tofu e o molho shoyo podem atrapalhar. Isso porque a soja se liga a diversos receptores estrogênicos do corpo, fazendo com que haja a mimetização do estrogênio no corpo, seja do homem ou mulher. Nos homens pode favorecer a ginecomastia e nas mulheres pode favorecer o ganho de tecido periférico gorduroso, além de favorecer a retenção hídrica.

Devem ser evitados o consumo de derivados de grãos em geral e também as farinhas, mesmo a tapioca. Toda farinha em excesso, seja a do trigo, do milho, do polvilho, da mandioca. Qualquer farinha pode ser considerada inflamatória, sendo a do trigo a pior. Elas promovem uma redução dos hormônios sexuais, principalmente a testosterona.

Alimentos que abaixam a Testosterona

O poder do jejum

Jejum pode ajudar sua TestosteronaO jejum é muito importante, mas se você exagerar acaba por ser prejudicial, fazendo a testosterona cair. O jejum intermitente, curto, de 14 ou 16 horas, ajuda ao corpo a produzir mais testosterona, sendo interessante considerar essa prática. No entanto, é sempre preciso ter em mente a importância de consumir água, sal e alguns suplementos que vão estimular a liberação de testosterona livre.

Acontece o aumento da proporção da testosterona total, que está livre para fazer as suas atividades naturais. Quanto mais testosterona livre tiver, melhor é a sua produção natural de testosterona. Logo, quais são os suplementos que ajudam a liberar a testosterona livre? No homem é o pingeon africanus, DHEA, o magnésio e a vitamina D. Todos eles ativam a fração livre da testosterona.

Portanto, evitem farinhas e açúcares. Essas são as principais recomendações. O jejum intermitente é muito interessante e as atividades físicas resistidas, musculação, burst são positivas.

Baixe minha lista de compras aqui.

Sobre o autor | Website

Sou médico, empresário e apaixonado por saúde. Nasci em uma família de médicos e aprendi desde cedo a questionar o status quo. Me formei em 2011 pela Faculdade de Medicina da UERJ, tirei dois títulos em duas especialidades médicas diferentes em menos de 5 anos de formado e criei junto com meu irmão, Dr. Gabriel Azzini, o programa Homem Super Saudável. Hoje tenho um dos principais podcasts do Brasil, mais de 2.000 mil alunos e centenas de milhares de seguidores no Youtube, Instagram e Podcast. Minhas obsessões incluem células tronco, terapias de crescimento capilares, modulação hormonal, jejum intermitente e suplementação regenerativa.